The Only Exception
Sábado, 19 de Março de 2011

capítulo 2. ♥

como era de esperar a jeniffer adorou o kevin, e ele foi logo integrado no grupo. não me admirei nada, pois ele domina a dança, tinha garra e adaptava-se a qualquer coreografia, tornando-a pessoal e original. dois meses já se tinham passado, e ao longo desse tempo pude ver nele uma pessoa que pensei não existir: humilde, simpático e sempre pronto a ajudar.

estava a ir embora quando ele me chamou, olhei para trás e fiquei à espera que o seu corpo chega-se perto do meu, mal se aproximou os nossos olhares cruzaram-se, e em ambos os rostos, um sorriso apareceu.

eu: diz.

ele: vais já embora ?

eu: vou, porquê ?

ele: queria saber se não querias ir almoçar comigo.

eu: por mim, tudo bem. - sorri.

fomos até à esplanada à beira do ginásio. esplanada essa, onde o encontrei pela primeira vez. fomos logo atendidos. pedi uma salada com delicias do mar e ovo cozido, para beber optei por um guaraná. ele preferiu um prego em prato e uma coca-cola. passado pouco tempo do pedido e de palavras trocadas, fomos servidos. o melhor daquele café, era que aquela hora havia poucas pessoas.

ele: pensei que as miúdas que dançam não bebiam nada com gás. - riu-se.

eu: aprende uma coisa sobre mim: não gosto de estereótipos e não sigo regras. - levei o copo à boca e dei um gole na bebida.

ele: hmm, agora é suposto eu contar algo sobre mim ? - mostrou mais uma vez os seus dentes bem tratados.

eu: claro, já contei algo sobre mim, agora é a tua vez. - sorri.

ele: deixa cá ver - deu um gole na sua coca-cola - odeio que tentem mandar em mim ou me controlem, e sou bastante protector.

ficou tão adorável quando referiu o facto de ser bastante protector, ficou com uma expressão idêntica a de uma criança, quando admite o que fez. ele era um homem, mas tinha várias expressões de criança, o que o tornava ainda mais fofo. tinha que admitir que ele era bonito, aliás, lindo. mas era bem melhor interiormente, como se isso fosse possível.

eu: adoro chocolate, mas prefiro morango. - sorri e levei o garfo com comida à boca.

ele: gosto de limão, mas quanto a bebidas, só mesmo limonada. - riu-se.

eu: então e a vodka que bebes, é de quê ? - perguntei curiosa.

ele: como é que sabes que eu costumo beber vodka ? - fez uma expressão de admirado.

eu: vi-te na festa. - admiti.

ele: andas-me a vigiar-me  ? - riu-se.

fiquei envergonhada com a pergunta, o que o levou a soltar uma gargalhada bem sonora.

eu: não, apenas te vi.

ele: prefiro a preta. - olhou para mim.

eu: eu prefiro de morango. - disse orgulhosa.

ele: danças à quanto tempo ?

eu: dançar profissionalmente, à 5 anos. mas dançar, desde que nasci. sempre admirei esta arte, acho que é a única que consegue envolver de verdade uma pessoa. - sorri espontaneamente - e tu ?

ele: desde que comecei a andar. - riu-se.

eu: eu foi após ver o primeiro musical na televisão, apaixonei-me pela leveza dos passos e a magia que nos transmitiam, mas não tinha coragem de entrar mesmo para um grupo, tinha medo de não ter as qualificações necessárias.

ele: comigo foi igual, mas não foi desde o primeiro musical, mas desde que vi a garra com que os meus pais o faziam. viver numa casa de artistas, acaba por te influenciar a ir por esse caminho. quando estás mesmo em contacto com a dança, vês o seu valor e é impossível não a querer praticar.

eu: tens artistas em casa ?

ele: yap. - limpou a boca - a minha mãe dançava ballet e era acrobata num circo, o meu pai era um grande dançarino de salsa e tango. segundo eles, não interessa que danças praticas, mas sim a garra que lhes aplicas, quando a sentes.

eu: a minha é advogada e o meu pai médico - revirei os olhos - como podes perceber, o divertimento sempre me acompanhou, desde pequenina. - ironizei.

ele: estou a ver que sim - riu-se - tens irmãos ?

eu: sim, um. e tu ?

ele: uma, a blair. - sorriu.

eu: eduardo, ou melhor: dudu. - disse orgulhosa - é provavelmente uma das pessoas mais importantes da minha vida.

ele: ele dança ?

eu: não, prefere a representação. e diga-se passagem, tem imenso talento. e a tua ?

ele: prefere o canto, e também tem jeito - riu-se - daqui a uns anos, já ninguém vai-se lembrar da britney, da lady gaga ou até mesmo da madona, só da blair adams. - fez-me uma careta.

eu: se tiver a garra que o irmão, não me admiro nada. - sorri.

ele: e se o teu irmão tiver o mesmo talento que tu, vai bastante longe. - sorriu-me.

eu: não duvides, vai ser ainda mais conhecido que o brad pitt, que o ashton kutcher e até mesmo que o tom cruise. - sorri.

acabamos de almoçar e fomos dar uma volta, vi-a nele uma pessoa de confiança, um verdadeiro amigo. nessa altura, tive mesmo a certeza que o tempo não significa nada. tinha gostado realmente dele.

ele: namoravas à quanto tempo, com aquele tipo ?

eu: com quem ?

ele: aquele que estava contigo no outro dia, quando nos conhecemos e fingis-te que eu era o teu parceiro de dança.

eu: tecnicamente não fingi, apenas me antecipei - ri-me - 3 anos, quer dizer, quase 3. no dia em que fazíamos os ditos 3 anos, apanhei-o com a nancy. aquela que estava à sua beira e disse que tinhas cara de pescador.

ele: desculpa, não sabia. - coçou a cabeça.

eu: não tem mal, já superei isso. agora é algo que faz totalmente parte do passado e vai continuar assim, para sempre. ele é algo que não quero repetir, viva 10 ou 100 anos.

ele: ainda bem.- sorriu.

eu: ainda bem, porquê ? - perguntei confusa.

ele: porque ... hmm, porque ... porque assim não sofres por quem não te merece. porque se aquele tipo foi capaz de te trocar por algo como essa tal nancy, é porque não te merece mesmo. - sorriu-me.

eu: óh, obrigado - corei e ri-me - e tu, namoras ?

ele: nup. eu e os relacionamentos não nos damos muito bem. parece que ambos somos alérgicos um ao outro. - ajeitou a franja.

eu: a sério ? - admirei-me.

como é que alguém como ele, não tinha namorada e ainda para mais, não se dava bem com relacionamentos ?! seria gay ? que ideia, brenda !

ele: yap - riu-se - e para que conste, não. não sou gay.

medooo ! como é que ele sabia ? estás-te a tornar-te transparente de mais, brenda daniela !

eu: não disse isso - ri-me - mas dizes isso porque ainda não conheces-te a rapariga certa.

ele: se a encontrares leva-a até mim, que eu prometo-te que a amo e a protejo de tudo. pois se for mesmo a pessoa certa, ela terá o melhor de mim: o meu coração, e nessa altura não poderei fazer mais do que ela fará com ele.

que fofo ! rapazes como estes nunca me tinham calhado, que azar ! é que é só idiotas na rifa, kevins como este, que é bom, nada. sortuda seria mesmo a rapariga que conseguisse com que ele a ama-se.

eu: combinado ! - ri-me.

ele: e tu vais encontrar alguém que te merece e que será incapaz de olhar/pensar noutras raparigas, quanto mais trocar-te por alguma. vais ver. - sorriu-me.

eu: talvez, não quero pensar muito nisso agora, já tive o suficiente para um ano - mordi o lábio - tenho de ir embora, já está a ficar tarde e eu ainda tenho que ir a uma festa, com os meus pais. - disse olhando para o relógio.

ele: queres que te leve ?

eu: não é preciso. moro aqui perto - sorri-lhe - obrigado por esta tarde.

ele: eu é que tenho que agradecer. - retribuiu o sorriso.

eu: bem, tchau - aproximei-me dele - amanhã às 15h. - depositei dois beijos na sua face.

ele: está bem - sorriu e foi a sua vez de me cumprimentar - tchau tsunami.

eu: tchau, jójó. - ri-me e virei-lhe as costas e fui rumo a casa, pronta para ir para outra realidade.

 

continua ...

 

publicado por p;αndяαde. ॐ às 22:20
| comentar.
39 pintinhos piu:
De C;soares:O a 19 de Março de 2011 às 22:53
<bonitinho:P adorei, já nao lia desdo 1º
De Carina Soares a 19 de Março de 2011 às 23:47
AMEEEEEEEEEEEEEEI
De Rita a 20 de Março de 2011 às 00:27
Ohhhh eu quero um Kevin também :)
Esses dois vão ficar juntos, mas é que de certeza, acho que foram feitos um para o outro xD
Ai jójó ahahahah essa ta fixe :p
gostei muito deste capitulo
beijinhos
De Miriam ∞ a 20 de Março de 2011 às 10:05
óhn o Kevin é mesmo fofinho *--*

estou anciosa por o proximo capitulo (:
De Patrícia a 20 de Março de 2011 às 13:58
estou a gostar bastante :b
continua *-*
De Miriam ∞ a 20 de Março de 2011 às 14:10
é o rapaz perfeito (:
De Miriam ∞ a 20 de Março de 2011 às 14:54
yap , porque rapazes desses na vida real ainda não encontrei nenhum -.-
De Miriam ∞ a 20 de Março de 2011 às 15:20
ahahah , mas que triste xD
De SUSANA VENTURA a 20 de Março de 2011 às 15:54
só hoje comecei a ler esta fic, e estou a gostar na realidade :)
são tão fantásticas as fic's que fazes cabritinha *o*
De SUSANA VENTURA a 20 de Março de 2011 às 16:00
acredita que tens , eu adoro pá xD

comentar.