The Only Exception
Quarta-feira, 10 de Agosto de 2011

ss - oitavo. ♥

alguém tem saudades da fic 'my world' ? é que se têm, podem sempre relê-la no blog da filipa carvalho, é que o meu cap5 está todo no cap14 dela. :) que máximo, comecei a postar a minha antiga fic noutro blog e nem sabia ... o mundo dos blog's é mesmo uma caixinha de surpresas, mein gott. :o 

senti o meu corpo a ser balançado, acabando por me acordar e retirar-me de um sonho para a realidade. demorei algum tempo a abrir os olhos, a claridade era demasiada. pelos sintomas do meu corpo, hoje estaria imenso calor - para variar. quando os abri por completo, pude observar um rosto claro manchado por pequenas manchas laranjas, que tanto adorava: as suas sardas. brindou-me com um sorriso ainda em aperfeiçoamento, pelo aparelho com borrachas azuis bebé, a combinar um pouco com os seus olhos pequenos e um pouco esticados.

sophie: acorda, já toda a gente se levantou - soltou um riso um pouco agudo.

eu: já ? - levantei-me num salto - o meu telemóvel ?

sophie: está ali - apontou para cima da mesinha de cabeceira - vou tomar o pequeno almoço, não te demores - brindou-me novamente com um dos seus doces sorrisos e saiu, fazendo com que os seus cabelos louros ganhassem um enorme brilho assim que abriu a porta.

agarrei no telemóvel e pude perceber que estava desligado - provavelmente teria ficado sem bateria -, isso explicaria o facto de não ter despertado. passei as mãos pelo rosto, esfregando os olhos que teimavam em estar semicerrados, nota mental: nunca mais ficar até tarde acordada com o justin ! fui até ao quarto de banho, liguei o chuveiro esperando algum tempo que a água saísse quente. observei o meu rosto no espelho, era incrível o brilho que os meus olhos demonstravam, não era preciso conhecerem-me muito bem para perceber que neste momento eu era feliz. assim que comecei a sentir o vapor da água a embaciar o espelho, retirei o pijama, juntamente com a roupa interior e brindei o meu corpo com a água.

instintivamente arrepiei-me, tratei de ensaboar o meu corpo e o cabelo, passando-os logo de seguida por água. passei uma máscara de côco pelos meus cachos quase desfeitos, castanhos. esperei os ditos 5mints. para que fizesse efeito, e de seguida passeios por água.

desliguei o chuveiro e espremi a água que se encontrava no meu cabelo, enrolei a toalha amarelo seco sobre o meu corpo desprotegido, deixei o cabelo molhado cair-me pelas costas, saí do quarto de banho e fui escolher a roupa que iria usar a seguir. deixei a toalha cair, arrepiando-me com o toque do cabelo sobre as minhas costas, vesti a roupa interior, seguida por uns calções e por uma camisola. penteei o cabelo, prendendo-o em dois puxos leves a cair para o peito. apanhei a toalha que se encontrava no chão e coloquei-a sobre o barão da banheira. olhei-me no espelho, podendo perceber que só faltava calçar-me e colocar os acessórios para ficar pronta.

saí do quarto e fui ao encontro do pessoal à cantina, ainda lá estavam todos a comer - ou melhor: quase a terminar. tratei de ir buscar o que iria comer e sentei-me a beira deles.

estava tudo num clima super lamechas, já não bastava a ruth e o eric, agora também existia chris e sophie. acabamos todos de comer e saímos de lá, indo para perto do lago. sentamos-nos, uns em cima da mesa e outros no banco comprido que estava à sua frente, do mesmo tom marrom.

ele: o quê que se passa ? - reparou também ele, no estado estranho do will.

will: a kristen não me fala - suspirou - e eu nem sequer sei porquê.

ruth: quem é a kristen ? - ergueu a sobrancelha esquerda.

payton: a sua namorada - tentou disfarçar a sua irritação.

sophie: pelos vistos ex - sorriu nasalmente, no fundo ela estava feliz com isso. tanto ela como eu, sabiamos perfeitamente o que a payton sentia por ele, e decerto modo também sabíamos o que ele teimava em esconder.

eric: é por essas e por outras que eu gosto da ruth, não é de arranjar estrilhos.

ruth: own, que fofo - beijou-o, para variar um bocado.

chris: tenta falar com ela - foi o mais racional - se gostas dela, não desistas.

eu: o problema é que ele não gosta dela, quer dizer: não como pensava gostar - concluí.

will: como é que tu ... ? - não conseguiu sequer terminar a frase.

eu: conheço-te - ri-me - ambos sabemos que o que tu queres é outra coisa.

ele: e és burro se não lutares - percebeu a conversa.

monitor: payton, caitlin, maja, chris, eric e jonathan peguem nos coletes laranjas - acabou logo com a nossa conversa - justin, will, rob, sophie, ruth e clarisse peguem nos coletes roxos - continuou com a escolha de equipas.

monitora: equipas feitas, agora vou dizer o que vão jogar - olhou para cada um de nós - existem dois campos, a equipa roxa e laranja vão para o primeiro, já a equipa preta e verde vão para o outro campo - indicou os campos que iríamos ter que ir - e o desporto será o futebol, alguma duvida ?

eu: eu tenho uma - baixei o braço quando a monitora me deu a palavra, que antes se encontrava levantado numa espécie de pedido de permissão para poder falar - têm aí telemóveis ?

monitor: sim, temos - ergueu a sobrancelha não percebendo a que me referia - porquê ?

eu: era só para ter a certeza, que a ambulância iria chegar rápido.

payton: dramática - desatou-se a rir.

ele: então sendo assim, espero que tenham dois à mão, porque conhecendo o jeito da cailtin para as bolas, estou ciente de que não irá sozinha para o hospital - provocou-me.

eu: morre - fiz-lhe uma careta, que originou um riso da parte dele.

monitora: não se preocupem com isso, a nossa enfermeira é óptima - riu-se - bem, equipa roxa e laranja venham comigo que eu vou arbritar o vosso jogo, equipa preta e verde vão com andrew.

obdecemos e cada um foi atrás dos monitores indicados, quando chegamos começamos o aquecimento. a marie podia ser mulher, mas no que se tratava a jogos, ela era tal e qual um homem, ainda mais autoritária que o andrew.

começamos então o jogo, na baliza estava o meu irmão, à defesa estava a payton e o rob, o eric, a maja e eu estávamos ao ataque. estava a ser um bocado complicado agir devido aos encontrões da maja, alguém lhe devia ter dito que somos da mesma equipa, é que sinceramente. consegui tirar a bola ao will, e comecei a correr para a frente levando-a comigo, quando estava prestes a chutar fui empurrada chegando de cabeça às pernas da clarisse que estava na defesa, eu iria matar aquela maja !

a sophie que se encontrava ao lado da clarisse, aninhou-se logo para ver como é que eu estava. disse-lhe que estava bem e levantei-me, podendo assim perceber que já toda a gente se encontrava a meu redor. eu só queria ver uma pessoa, e encontrei-a quando observei aquelas doze pessoas pela segunda vez.

eu: se quiseres eu ainda hoje vou procurar uma dieta na net !

maja: estás-me a chamar de gorda, óh branquela ? - caminhou até mim.

eu: estou , cenoura ! - olhei-a de cima a baixo - tu deves ser mesmo infeliz.

payton: para além de infeliz é feia - defendeu-me.

ruth: e gorda, visto não conseguir estar num campo sem ir contra alguém.

maja: deves-me estar a confundir com a clarisse, só pode - colocou em causa a forma física da clarisse.

monitora: maja ! - repreendeu-a - o quê que a tua colega te fez para a estares a ofender ?

jonathan: o único motivo para isso é ela não ter vida própria - defendeu a irmã.

clarisse: eu até posso não ser magra como tu, mas há algo que eu tenho que tu nunca terás: amor próprio ! porque uma pessoa que ofende os outros gratuitamente é simplesmente porque só a tentar por os outros inferiores, se sente superior - sorriu nasalmente - tenho mais pena de ti, do que de mim mesma por ser assim. - arrumou-a logo para canto.

sophie: podias dormir sem esta - riu-se.

maja: tu cala-te, sorriso metálico !

monitora: chega de colocares apelidos ofensivos às tuas colegas !

maja: elas é que começaram - defendeu-se.

will: eu por mim mandava-a para a sibéria - disse já farto dela.

maja: o quê que queres tu afinal ? ah, já sei ! a kristen ! pena não a teres - sorriu cinicamente.

eric: pai, como é que tu sabes disso ?

maja: achas que ela acabou com ele porquê ? quer dizer que namoravas com ela e não sabias que ela era minha prima ? andas mesmo pouco informado - troçou.

eu: eu não se sei se fico chocada com isso, ou com pena de ti por não aguentares ver ninguém feliz.

maja: eu tanto que aguento, que fiz o teu namorado feliz ... ou deverei dizer ex ? - se havia algo que ainda me magoava era falarem do tyler, e ela sabia bem disso.

payton: cala-te infeliz ! - melhor do que ninguém, ela sabia o quão aquilo me estava a magoar.

maja: porquê ? quer dizer, vocês podem dizer tudo o que querem a meu respeito, até que não gosto de mim mesma e eu não posso defender-me ? ai, que valor o teu - olhou para mim - sabes ? mais infeliz és tu que ainda gostas de alguém que mal viravas costas ia ter comigo - esboçou um sorriso triunfante - ai caitlinzinha, caitlinzinha quem tem pena de ti sou eu.

ruth: como se alguma vez o tyler quisesse ter algo contigo, óh coisa alaranjada.

monitora: vocês podem parar com isso ? - disse já irritada - isto é um campo de futebol, não um ringue !

rob: óh stora, independentemente do que diga, elas vão continuar. é assim à 3 anos - riu-se.

maja: claro que quis, também já viste a namorada nojenta que ele tinha ? - referiu-se a mim.

eu: mais nojenta és tu que te fazes a rapazes comprometidos - suspirei - comeste o tyler ? parabéns, significa que curtes carne mastigada - esforcei o riso.

payton: claro que curte, ela é igual - olhou-a de cima a baixo - tu és mais rodada que camisolas em altura de saldos - fez com que toda a gente se ri-se, menos ela claro.

a monitora já lá não estava, deixando-nos lá sozinhos. tanto o jonathan, como a clarisse e o rob já tinham ido embora, eles não eram de todo de discussões, aliás eram bem pacíficos até.

sophie: és tão baixa, mas tão baixa que me chegas a enojar !

maja: óh sorriso metálico, volta lá para a califórnia e deixa-me em paz - olhou para mim e para a payton - vocês as duas devem perceber-se bem, visto que ambas foram trocadas por outra rapariga.

eu: ao menos no entendemos-nos, já a ti ninguém te entende. aposto que nem a tua mãe consegue perceber essa tua mente perturbada.

will: eu tenho mesmo pena de ti, a sério. deve ser lixado não ter ninguém a gostar de nós.

eric: deixa lá puto, nem vale a pena gastar o nosso tempo com essa chabala.

ele: isto já me começa a cansar - queixou-se.

chris: já somos dois - concordou com o justin.

payton: anda embora - agarrou-me no braço - não vale a pena arranjar ainda mais estrilho.

sophie: a payton tem razão, cate - sorriu-me docemente - vamos embora.

ruth: quê ? num há porrada ? epá, fique triste ! - fez-nos rir a todos, à excepção da maja.

começamos a andar, para além de irritada eu estava magoada. o tyler era uma ferida ainda bem aberta, e tocar nela era algo que me doía bastante, porque mesmo depois de tudo eu ainda gostava dele.

maja: exacto, vai - riu-se - da mesma forma que o tyler se foi, o justin também vai - disse de um modo que só eu ouvisse, visto ser a última.

o meu corpo ficou preso ao chão assim que ouvi aquilo. ela estava  falar a sério ? sem sequer ter tempo de pensar, rodei o meu corpo e caminhei até à sua beira, ela estava-me a irritar seriamente.

maja: sim caitlin, eu sei dessa tua crush pelo justin - riu-se cinicamente - mas até quanto tempo isso vai durar ? ambas sabemos que não és rapariga para ele, aliás, não és rapariga para ninguém.

eu: majazinha, com o tyler eu deixei passar, mas nem tentes te meter com o justin - avisei-a - a minha paciência tem limites, e não queiras ver quando eles são atingidos.

maja: ui que medo - gozou - aposto contigo o que quiseres que no fim destas férias ele estará a comer aqui - com o indicador direito, bateu na palma da mão esquerda - na minha mão.

eu: e eu aposto contigo que até ao fim destas férias a palma da minha mão, vai estar imensas vezes nessa tua cara - esbocei um sorriso amarelo - podes tentar o que quiser, mas com o justin não ficas, isso te garanto eu - virei costas triunfante, caminhei até ao meu grupo que me esperava curioso, porque à distância que eles estavam de nós, não consegueriam ouvir nada do que era dito.

maja: veremos caitlin, veremos ! - gritou.

estava metida em dois jogos: sedução e conquista; e tinha a certeza que sairia vencedora em ambos. 

pronto, aproveito e apresento-vos a kristen fofa.
estás a ler:
publicado por p;αndяαde. ॐ às 18:40
| comentar.
61 pintinhos piu:
De carina soares a 10 de Agosto de 2011 às 18:43
omg, essa filipa não se cura mesmo. -.-
vou ler, foi só mesmo para expressão o meu desagrado pela plagiadora ahahah
De carina soares a 10 de Agosto de 2011 às 18:49
e o resultado é sempre o mesmo: capítulos lindos e que me deixam com muita curiosidade para o próximo! :c
De *B* a 10 de Agosto de 2011 às 18:57

amo, amo, simplesmente perfeito
De dan a 10 de Agosto de 2011 às 19:00
o meu príncepe lindo mal fala aqui :c fogoooo! posta mais e fast , vá :c
ps: odeio a maja -.- putaaaaaaaa do crlh , faz-me lembrar a selena !
De Miss Private ™ a 10 de Agosto de 2011 às 19:10
-' sinceramente..T.T a bacon non se manca mesmo.. qe conas T.T
-' esqecendo GENTE TRISTE e passando pha fic..: sabes, odeio essa maja! T.T qe puthaaa >.<''...otaria otaria e mais otaria x,x...eo ate pensei qe qando a caitlin se virasse ia lhe a cara mas afinal :c..

postaa +++

bijoo
o/ hasta
De ▲ máei a 10 de Agosto de 2011 às 19:13
podia ter lhe batido já neste capítulo, não era preciso esperar :L que ca-bra!
De Liliana Maria a 10 de Agosto de 2011 às 19:15
essa Filipa devia ter vergonha na cara, 
a Maja é nojenta, eu acho que não a aguentava à minha frente.
De patrícia gomes. a 10 de Agosto de 2011 às 19:19
finalmente, finalmente e finalmente.
e agora vou ler :)
De patrícia gomes. a 10 de Agosto de 2011 às 19:36
ahahahha, amei. 
como eu estava ansiosa por mais um capitulo +.+
 
De Miriam ∞ a 10 de Agosto de 2011 às 19:55
1º : Tenho muitas saudades da "My World" e essa Filipa não têm vergonha na cara o.o

2º : Meu deus , quando a Caitlin virou - se e andou em direção á Maja , por momentos pensei que ela lhe ia dar um estalo e isso era tããõ lindo :D mas pronto , essa maja tem a mania que é boa e ela vai ver no final ! Com a Caitlin ninguém se mete ó coisita insignificante!

comentar.