The Only Exception
Quarta-feira, 29 de Junho de 2011

ss - segundo. ♥

fomos todos chamados para ir jantar. era nessa altura que toda a gente se reunia no refeitório. as caras já eram muito bem conhecidas, com excepção de cinco ou seis, que nunca cá foram vistos. nada que interferisse muito no funcionamento do campo.

fomos servidos, havia várias opções. desde comidas rápidas a saudáveis. era ao gosto de cada um. assim como as bebidas. numa mesa estavam os monitores, a directora e a maja. noutra estava eu, a payton, o will, o justin, o christian, a ruth e o eric. já estavam todos a fazer planos, a seguir ao jantar. habitualmente ninguém seguia a regra de ir dormir após a refeição, os monitores sabiam bem, mas fingiam que não. muitas das vezes tinham sido eles a encobrirem-nos da directora. raramente era chamada, só em casos extremamente importantes. só fazia presença e mesmo assim, já incomodava.

acabamos de jantar e saímos do refeitório, com a desculpa de que estávamos cansados. cada um foi para o seu quarto, não só para disfarçar, mas também porque iríamos ter que vestir o biquíni. é que começar o verão neste campo e não ir dar um mergulho ao lago, era o mesmo que ir à missa e não rezar. vesti o meu biquíni, prendi o cabelo num puxo, e calcei uns chinelos. juntamente com a ruth e com a payton, saímos da camarata. os rapazes já lá se encontravam. a ruth tratou logo de ir ter com o eric, já o will resumiu-se aos olhares. eles quando queriam conseguiam ser demasiado estranhos. o justin também lá estava, sorriu-me quando me viu. retribuí-lhe um sorriso nervoso, e desviei logo o olhar. sempre acontecia o mesmo, quando o via. nunca tive nada com ele, e achava-me incapaz disso. ele era do tipo impossível, nenhuma rapariga o conseguia alcançar, pelo menos que eu soubesse. já o conhecia à três anos e nunca o vi com ninguém, mas todos os verões acontecia o mesmo: ele mexia comigo. e ele sabia bem disso, mas como uma vez me disse, éramos somente amigos. custou ouvir isso, mas conformei-me. não havia nada que eu pudesse fazer. decidi ir dar um mergulho, estava realmente a precisar. retirei os chinelos, e caminhei para junto do lago. a minha reacção foi logo arrepiar-me, a água estava extremamente fria. respirei fundo e entrei de uma vez, quando já estava numa profundidade aceitável mergulhei. quando voltei à superfície consegui enxergar demasiado bem a lua; estava completa e com um brilho radiante. o melhor de quando estamos longe da cidade é que conseguimos enxergar o que em mais lado nenhum é possível. senti a tua falta, admito. no fundo eras tudo o que eu queria, eras o que eu precisava. mas como me dizem imensas vezes, até a perfeição tem falhas, as tuas eram evidentes e eu nem sequer consegui enxergar. foi a teu lado que pela primeira vez me senti incapaz, me senti insegura. perdi toda a segurança que tinha, o meu chão foi-me retirado e adivinha ? não havia nada para me amparar na queda. por mais que nos dias frios necessitasse do teu abraço, que nos momentos de puro medo precisasse da tua voz reconfortante, eu não conseguia aceitar-te de volta. era como se houvesse algo que me impedisse disso, como se houvesse algo a dizer-me « caitlin, não faças isso ». nunca soube ouvir quem tinha razão: a minha cabeça, sempre me deixei levar pelo coração, e adivinha onde isso me levou ? exacto. desde o momento em que ouvi da tua boca um 'és a mulher da minha vida', que não foi direccionado a mim, comecei a ser mais racional. senti uns braços a rodarem à volta da minha barriga, completando um corpo prensado no meu. era impossível não reconhecer aquele cheiro, que tantas noites me acompanhou, que durante tantos anos me ajudou.

payton: a pensar nele ? - depositou o seu queixo sobre o meu ombro.

eu: sim - lamentei-me - eu tinha tudo e agora estou sem nada - suspirei.

payton: nem te atrevas a dizer isso. tu não perdeste nada que necessites. perdes-te sim, algo que nunca te mereceu.

eu: eu sei, mas tenta dizer isso ao meu coração. é que dói, sabes ?

ela largou-me e rodou o meu corpo para a frente, permitindo assim que ficasse frente a frente consigo. olhou-me nos olhos e brotou um sorriso, extremamente seguro.

payton: óh tu aí - olhou para o meu peito - vê se deixas de ser idiota, e se começas a deixar a minha melhor amiga boa, sim ? se não, não há mais casacos no inverno para te aquecer, ouviste ?

não me consegui controlar e comecei-me a rir. só ela sabia as palavras correctas para me animar, só ela sabia o que dizer no momento certo. era bem mais que uma melhor amiga, e ela sabia-o bem. fomos interrompidas, assim que algum ser - muito idiota - nos decidiu chapinar.

eu: will, é melhor saberes nadar, porque eu vou-te matar ! - disse enquanto limpava a cara, da água que tinha ido na sua direcção.

will: vamos lá ver então - riu-se - nunca irás conseguir apanhar-me, eu sou um golfinho - dito isso mergulhou.

eu: só se for um golfinho manco - ri-me.

payton: manco ? - ergueu as sobrancelhas.

eu: é, como o nemo. não tem uma barbatana - ri-me, juntamente com ela.

ele: o nemo tinha ambas as barbatanas - disse por trás de mim.

senti um arrepio a percorrer cada partícula do meu corpo, cada pêlo do meu corpo se eriçou.

eu: tá, obrigado por teres estragado a minha piada - disse nervosa.

ele: óh, desculpa catezinha - abraçou-me por trás - para a próxima num falo, sim ?

eu: sim - disse num sussurro - não te vi chegar.

ele: é, eu sou como um tubarão. venho por selecto, e quando menos esperam, ataco - mordeu-me o pescoço.

soltei um 'ai'. tinha doído, e eu iria-o matar, e ele apercebeu-se disso, pois mal o fez largou-me e mergulhou. boa, só me calhavam animais marinhos ! um era golfinho e o outro tubarão, mãe de Deus. era por isso que eu odiava biologia. mergulhei logo a seguir a ele, tentando - e friso a palavra tentando - apanhá-lo debaixo de água. objectivo mais que falhado.

um nasce tubarão, o outro golfinho e eu não podia ter nascido sereia, porquê ? de tanto nadar, acabei por chegar ao inicio do lago. logo de volta ao campo. nada de eric, nada de ruth, nada de will, nada de payton. só de justin. saí da água e fui ter com ele, ao que a cada passo que eu dava era acompanhada pelo seu riso.

eu: adivinha ? eu sou uma foca ! - olhei para ele.

ele: hãn ? - perguntou confuso, mas ainda assim a rir-se.

eu: dou estalos ! - dei-lhe um no braço.

ele: autch - riu-se ainda mais - que má.

eu: ah tá, tu é que me mordes, mas eu é que sou má. tem lógica, muita até - disse ironicamente.

ele: não sejas assim - aproximou-se de mim - se não, não há sardinhas para ninguém, óh foca.

cerrei os olhos, numa demonstração - falhada - de como estava irritada. a minha atenção foi direccionada ao casal que caminhava até nós: a payton e o will.

payton: eu vou-te matar ! deixaste-me sozinha ! - chegou à minha beira - o quê que te aconteceu ao braço ? - direccionou-se para o justin.

ele: fui atacado por uma foca - gozou-me.

eu: e por falar nisso ... - aproximei-me do will - willzito, gostas de focas ?

will: sim, porquê ? - ficou receoso, do meu futuro acto.

eu: porque eu adoro ! - dei-lhe um estalo - pena que os golfinhos não.

começaram-se todos a rir do que eu tinha feito, inclusive eu. era disso que eu gostava neles, a felicidade que irradiavam e que me faziam sentir. todos os verões era desta forma, sem excepção alguma. era por isso que eu adorava vir para este lugar, todo o acolhimento que aqui era dado, era demasiado gratificante.

sem admiração alguma, de alguém, o eric e a ruth apareceram. já era hábito deles, desaparecerem sem nos dizer nada, sempre funcionaram assim. já ninguém estranhava, muito pelo contrário: quando não se sabia de um, concluía-se que estava com o outro.

decidimos ir para dentro, já estava a ficar tarde. e ainda íamos ter que tomar banho, e arrumar as nossas roupas. muitas malas para desfazer e muito pouco tempo para isso. iríamos ter que acordar cedo, para as actividades do dia seguinte - visto que já passava da meia-noite: desta manhã.

todos, em excepção do eric e da ruth entramos para as nossas camaratas. e tratamos de arrumar cada peça de roupa, nos respectivos armários.

eu: estás estranha - comentei - passa-se alguma coisa ?

payton: passa-se - suspirou e sentou-se na cama - eu e o will estivemos a falar e ele namora.

eu: o quê ? - perguntei surpreendida - o quê que ele te disse ao certo ?

payton: estávamos a falar, quando me deixas-te, não é senhora foca ? - olhou para mim, o que originou uma gargalhada da minha parte - e então ele disse que o meu cheiro lhe fazia lembrar alguém. até que depois de muito pensar me disse "já sei ! é o da kristen" - fez voz grossa, tentando-o imitar, fazendo-me mais uma vez rir - e eu caí no erro de lhe perguntar quem era essa tal de kristen e ele então disse-me que era a sua namorada.

eu: óh loira - caminhei até ela e sentei-me a seu lado - nada está perdido - tentei reconfortá-la.

payton: como assim ? - olhou para mim.

eu: tens o will à tua disposição durante três meses. ao contrário dessa kristen, que está longe dele.

payton: achas mesmo ? - esboçou um sorriso fraco - e se ele gosta mesmo dela ?

eu: mesmo que goste, não lhe és indiferente. hoje quando te viu, só lhe faltava cair os olhos.

payton: a sério ? - esboçou um sorriso enorme e um brilho nos seus olhos apareceu instantaneamente.

eu: sim. apesar de seres gorda e estares cheia de celulite, até lhe interessaste - gozei-a.

payton: és tão parva - empurrou-me e riu-se.

eu: não, sou a tua melhor amiga - sorri-lhe e levantei-me da calma num salto - bem, vamos acabar de arrumar que eu ainda quero ir tomar um banho e depois dormir.

payton: já somos duas !

ruth: três a contar comigo ! - disse fechando a porta e juntando-se a nós nas arrumações.

estás a ler:
publicado por p;αndяαde. ॐ às 23:40
| comentar.
41 pintinhos piu:
De daniela a 30 de Junho de 2011 às 00:26
comecei agr a ler esta fic
ahaahahaahha, ri-me tanto na parte dos animais marinhos xDDD 
De Rita a 30 de Junho de 2011 às 00:28
adorei
eles são tão amorosos apesar de não terem nada um com o outro, ainda xD
beijinho
De a a 30 de Junho de 2011 às 01:32
se eu tivesse mais 'confiança' contigo, atéte mandava pro outro lado .|. tu escreves isto tão woow e depois dizes que é exagero? e juízo? xD
De daisyy a 30 de Junho de 2011 às 01:47
Lindo, lindo :3
Adorei a parte da foca <3 E a do tubarão foi tão fofaaa *o*
Tens imeeeeeeeeeeenso jeito. Continua (:
Ah e podes continuar-me a avisar quando postares? :x  É que facilitava-me bastante :s Mas se não der também não há problema!  (:
De Juh... a 30 de Junho de 2011 às 02:53
lindooo amei mais sim 
  kisses 
De C:Soares^^ a 30 de Junho de 2011 às 10:53
MORDIDELAS ^^
ahahahh, xD
De carolina lewis a 30 de Junho de 2011 às 13:37
está tão fine! :D
beijinho.
De Emily Jones ♥ a 30 de Junho de 2011 às 14:46
wowwwwwwwwwwww
tá super whindooooo ^^
quero mais shim?? pleaseeeeeeeeeeeeee :D


xx
De Miriam ∞ a 30 de Junho de 2011 às 14:52
a parte dos animais marinhos foi tipo d-e-m-a-i-s ahah , asério!

gostei muito teletubbie :3
De agnes hope a 30 de Junho de 2011 às 15:05
adorei (que espanto) ahah

comentar.